ENTENDIMIENTO

"En nombre de los otros tiempos de hacen grandes macanas en éstos- dijo Oliveira-. Mirá, Manolo, vos hablás de entendernos, pero en el fondo te das cuenta que yo también quisiera entenderme con vos, y vos quiere decir mucho más que vos mismo. La joroba es que el verdadero entendimiento es otra cosa. Nos conformamos … Continuar lendo ENTENDIMIENTO

DECLARAÇÃO DE BENS

Uma goteira no teclado . uma pergunta atravessada . uma coceira que virou machucado . um arrepio nos dentes . uma noite de sono conturbada . um pesadelo recorrente . uma conexão bichada . vários problemas não-aparentes . duas gatas precisando ser castradas . um rombo na conta corrente . uma vidinha atrapalhada . uma … Continuar lendo DECLARAÇÃO DE BENS

FALHA

Não encontrei poema, canção ou hai-kai pra dizer o que estou sentindo hoje: que é infinitamente mais fácil lidar com a própria dor do que com a dos outros. ? I know you I care too I see through All of the pictures that you keep on the wall All of the people that will … Continuar lendo FALHA

Baby, baby

espere baby não desesperevamos tomar mais um e falar sobre os mistérios da lua vaga dylan na vitrola dedo nas teclas canto invento enquanto o vento marasma espere baby não desespere temos um quarto uma eletrola uma cartola vamos puxar um coelho um baralho e um castelo de cartas vamos viver o tempo esquecido do … Continuar lendo Baby, baby

CHUVA

Hoje subi a Rebouças embaixo de chuva, à noite. E cheguei à conclusão de que às vezes um pouco de desconforto externo é bom, pra equilibrar com o desconforto interno. *** Vida noturna (João Bosco e Aldir Blanc) Int.: F/G C7+ A7 Dm7 Acendo um cigarro molhado de chuva até os ossos G7 C7+ A7 … Continuar lendo CHUVA

VIROSE DADAÍSTA OU POESIA CIBERNÉTICA

Todo dia recebo simpáticas mensagens randômicas na minha caixa de entrada, com apenas com uma frase que nada tem a ver com o subject. Acredito que seja um vírus pós-moderno, que, sob influência do surrealismo, dadaísmo e a aleatoriedade da vida, esteja assombrando as caixas postais alheias, muito embora a maioria dos agraciados não saiba … Continuar lendo VIROSE DADAÍSTA OU POESIA CIBERNÉTICA

FINADOS

[14:57:03] acho q vou no cemiterio agora ver algum morto [14:58:08] tipo, algum morto conhecido? [14:58:11] nao, desconhecido mesmo [14:58:18] assim nao choro [14:58:22] BOA [14:59:03] quem dera minha familia estivesse enterrada no araçá... provavelmente teriamos uns imóveis na vila romana e nos jardins... um sítio em atibaia e uma boa briga de familia pela … Continuar lendo FINADOS

GRAVATINHAS

Oquêi, o Serra ganhou. Ponto para os gravatinhas. Os da camisa azul-clarinha. Que tem dentes limpinhos. Que não fumam. Que ajudam as velhinhas e os deficientes a atravessarem a rua. Os arrumadinhos. Os neutrinhos. Ele prometeu austeridade. Chega de tosqueira né? - pensaram os paulistanos. Dessa gente arrogante, que coloca piscina na periferia. Que dá … Continuar lendo GRAVATINHAS