PRIMAVERA

Contemplo o rio, que corre parado
e a dançarina de pedra que evolui
completamente sem metas, sentado
não tenho sido; eu sou, não serei nem fui.
A mente quer ser
mas querendo erra
pois só sem desejos é que se vive o agora.
vede o pé de ipê, apenas-mente flora
revolucionariamente
apenso ao pé da serra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s