LIÇÕES DE 2020

Não, não estou falando que a pandemia nos fez aprender nada, muito menos evoluir, pelamor, sem esse papo de instagrammer tilelê gratidão. Mas em um ano no qual eu REALMENTE não saí de casa, além de surtar, estudei muito – embora tenha lido pouco. Eu passo muito tempo desenhando e pra mim funciona melhor consumir conteúdo em áudio enquanto trabalho.

Aproveito o clima de retrospectiva para compartilhar aqui os conteúdos que mais me impactaram. E, ao fim da lista, um pouco de humor, coisa que também ensina (a gente a ser menos besta).

I. Filosofia, Sociologia e outras Reflexões bar & lanches

Quando o presente está ruim, o jeito é apelar para a história do mundo ou do pensamento. Eu adoro saber mais sobre filosofia, não com intenção de entender o mundo, mas de entender como, em diferentes momentos da história, as pessoas tentaram entender o mundo.

O prof. Clóvis de Barros Filho tem uma série de palestras disponíveis no You Tube, mas o ouro mesmo é mais difícil de encontrar. São as aulas de Ética que ele deu na ECA/USP e disponibilizou para seus alunos, além de cursos na Casa do Saber.

Em 2020, eu consegui maratonar os cursos introdutórios ao pensamento: Marxista; de Pierre Bourdieu; Nietzsche; Espinosa; os cursos de Ética; de Ciência política, entre outros.

Um deles, A Filosofia e os Mitos, está disponível aqui – é curtinho (3 aulas) e eu recomendo demais:

Naturalmente, sofrimento psíquico foi um tema importante este ano, e Christian Dunker colocou tudo em perspectiva, sendo um farol. No excelente Café Filosófico, recheado de vídeos e temas interessantes.

Contrapoints sobre a cultura da riqueza.

II. Giro Descolonizador e Teoria Decolonial

Neste ano se acentuou meu interesse nos assuntos relacionados à América Latina e o pensamento decolonial. Para entender um pouco mais o assunto, sugiro a leitura do texto El giro decolonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global, Santiago Castro-Gómez e Ramón Grosfoguel.

Em um pequeno contexto histórico, explica a “categoría ‘decolonialidad’, utilizada no sentido de giro decolonial, originalmente desenvolvida pelo filósofo porto-riquenho Nelson Maldonado-Torres (2006), que complementa a categoria ‘descolonização’, utilizada pelas ciências sociais do final do século XX” e explica como também se basearam os estudos de Aníbal Quijano, Enrique Dussel e cia dos anos 70.

Pra começar a entender o giro descolonizador, recomendo demais essa ótima entrevista com Enrique Dussel, teórico argentino autor de “Filosofia da libertação“. Por sinal, todos seus livros estão disponíveis para download grátis em seu site:

https://enriquedussel.com/Libros_ED.html

Dussel entende que a filosofia que libertará os povos não virá do pensamento europeu ou de filosofias totalizantes que advêm do centro. O movimento Filosofia da Libertação analisa que processos podem tornar um indivíduo oprimido livre e aparece entre os anos 1960 e 1970 (há controvérsias sobre a data); nasce como correlato filosófico da Teologia da LibertaçãoPedagogia do OprimidoPsicologia da Libertação, Sociologia da Libertação, Direito da Libertação (Direito Alternativo), Antropologia da Libertação, Economia da Libertação. etc.

Pra saber mais: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512018000400631

Aproveito para recomendar a revista organizada pelo ¡DALE! – Decolonizar AL e seus Espaços: EPISTEMOLOGIAS DO SUL

#1 Giro Decolonial 1: A. visuais, arquiteturas, alteridades http://bit.ly/giro_20191
#2: Gênero, raça, classe-geopolítica do conhecimento https://bit.ly/giro_20192

O jeito que esse debate se desenvolve na América Latina (além, é claro, dos estudos decoloniais africanos) é muito interessante, e lamento que chegue aqui e seja entendido – burra ou desonestamente – como “estão falando para a gente não usar pratos”.

Também indico demais essa aula de feminismo decolonial com Helena Vieira. Eu assisti essa live não só concordando como fazendo DANCINHAS DE ALEGRIA a cada frase porque me contemplou demais:

Outra aula muito boa com ela Introdução a Teoria Queer:

E fiz uma playlist aqui com outros vídeos que acho relevantes sobre o assunto:

https://www.youtube.com/playlist?list=PLd0U1Xw6ERoy4u7l7mZ-ZhE_eY88jnRV9

III – Desenho e pintura

Tenho feito uma série de cursos de desenho no site Domestika (https://www.domestika.org/). A plataforma não pretende ser de formação, mas de cursos rápidos e específicos, sobre ferramentas e técnicas com artistas e profissionais consagrados. O que é muito interessante, porque de outra maneira seria muito difícil fazer esses cursos com artistas que admiro, como Adolfo Serra, Laura Pérez, Tereza Martinez e outros por 10 dólares cada. Apesar de curtos, são muito legais, os artistas mostram referências, métodos criativos, às vezes até comentam as lições dos alunos. Meus favoritos:

https://www.youtube.com/c/domestika/videos

Ilustración, nudo y desenlace // José Luis Ágreda

Narrar en viñetas con un boli // Miguel Gallardo

Introducción a la ilustración infantil // Adolfo Serra

Pinceles y pixeles: introducción a la pintura digital en Photoshop // Patricio Betteo

Claves para crear un porfolio de ilustración profesional // Pencil.Ilustradores

Técnicas de dibujo tradicional con Procreate // Laura Pérez

Ilustración y diseño de personajes para cuentos infantiles // Teresa Martínez

V – Podcasts

Para agregador, gosto de usar o https://podcasts.google.com/, que organiza suas inscrições mostrando os últimos que foram atualizados. Algumas recomendações:

PULSO LATINO é um podcast de informação e opinião sobre a realidade política, cultural e econômica dos países latino americanos. Na série Caminhos Latinos, cada episódio é sobre um país e conta um pouco da história e contexto social do século XX.

NÃO INVIABILIZE, o programa da Deia Freitas (@naoinviabilize) é um espaço de contos e crônicas, um laboratório de histórias reais. Histórias de temas variados contadas semanalmente. Quadros do canal: Amor Nas Redes – histórias de amor e afeto com finais felizes ou tristes; Picolé de Limão – histórias do cotidiano, ciladas, trapaças, muita história revoltante; Luz Acesa – histórias de terror, suspense e mistério.

PAPO TATUÍ é o podcast do pessoal da Banca Tatuí / Sala Tatuí / Lote 42. Teve entrevista comigo lá e mais um monte de gente bacana. Os papos foram transmitidos inicialmente no formato de lives no Instagram da banca, podem assistir lá: https://www.instagram.com/bancatatui/channel/

V – Humor

Aqui não é propriamente coisas que aprendi, mas que recomendo pois me ajudaram a desopilar o fígado nesse ano tão tenso.

AUTO POBRE é o quadro em que o humorista mineiro Stevan Gaipo avalia os melhores carros para o trabalhador brasileiro. Chevette, Escort, Fiat 147 avaliados com o rigor jornalístico necessário.

Stevan faz o meu tipo de humor favorito, que é o PIADA DE POBRE. Quem faz a piada é ou já foi pobre, quem é ou já foi pobre ri porque se identifica com as bobajada, rico nao entende muito mas ri também (um pouco pensando deus me livre mas tudo bem)

AFONSO PADILHA, sou fã desse cara. Os shows dele tem um roteiro redondinho, começo meio e fim, não derrapa (muito) no politicamente incorreto, entrega humor. Esses dois shows completos são épicos.

GUILLE AQUINO é um humorista argentino muito engraçado, e o canal se desdobra em sketches de humor com elenco e quadro de notícias / mockumentary – mas talvez fale um pouco rápido demais para quem não é fluente no idioma. De qualquer maneira, vale muito a pena tentar:

PAÍS DE BOLUDOS é um programa argentino de notícias e humor – independente e diário. Impressionante. É mais engraçado se você acompanha a situação política por lá.

TIRANOS TEMBLAD também era um impressionante resumo semanal de acontecimentos uruguaios. Sim, acontecimentos e não notícias. A edição espertíssima selecionava pérolas entre o que havia sido postado no YouTube com a tag #Uruguai durante aquela semana, em uma narrativa louca e muito engraçada. Foi espaçando as publicações para mensais, anuais e infelizmente não foi atualizado com o melhor de 2020, mas de qualquer maneira é um conteúdo atemporal. Recomendadíssimo:

É isso.

P.S.: como o ano só começa depois do BBB, em 2021 ainda não vi nada, não aprendi nada, não fui minimamente útil ao meu país. Em março ou abril volto com atualizações.