DIA DOS PAIS

Quem vê esse tipão posando de sapatos engraxados não imagina o maloqueiro transgressor, revolucionário, encrenqueiro, adorável, insuportável, autor / director de teatro premiado em uns três continentes, xamã, pai para quem precisasse, um grande sujeito. Por muito tempo pensei que não era fácil ser filha de alguém foda assim (imaginem a autocobrança); mas na verdade é uma honra, motivo de enorme orgulho – e a saudade é proporcional. Obviamente muito do que penso sobre a vida, arte e política vem dele:

Juan Carlos Uviedo, provocador.

P.s.: na última foto, a exposição que aconteceu em 2015 no MUAC – México sobre ele coincidentemente é aberta por essa imagem da minha mãe, mas vou deixar essa problematização para outro dia.